domingo, 15 de agosto de 2010

Ainda para minha irmã...


Um anjo em minha vida...

Sempre ouvi o discurso de que "Família a gente não escolhe"... concordo em parte, não podemos escolher em que família nascemos, mas podemos, sim, escolher se queremos fazer parte dela ou não. Nesse sentido, não tenho queixas... minha família é a melhor possível e dela faz parte um anjo, que me dá o prazer de chamá-la de mana!
Tenho oito anos a menos que minha irmã, diferença que hoje não significa nada , mas que já fez diferença. Devido a isso, as lembranças que tenho da infância com ela não são muitas, são mais as histórias que foram sendo contadas com o passar dos anos. Mesmo assim, nossos laços, baseados em relações de amor sincero construídas juntamente com toda a família, nos tornaram o que somos hoje: amigas, irmãs de sangue e de vida, que são coisas bem diferentes...
Durante muito tempo, lembro de sentir ciúme da minha irmã. Talvez porque sempre fosse comparada a ela: "a tua irmã não fazia isso", "a tua irmã fez isso e não deu certo", entre outras coisas. Queria, muitas vezes, viver minhas próprias experiências sem me sentir comparada. Hoje, entretanto, tenho o maior orgulho de ser comparada a ela. Quando me dizem que não somos parecidas, sempre tento achar alguma coisa que nos aproxime para convencer quem não mais nos compara, convencer até a mim mesma...
Tenho muito orgulha da irmã guerreira que tenho. Alguém que não desiste diante das dificuldades, alguém que acredita no bem, no amor, no trabalho e na verdade, alguém que sempre tem algo de bom para iluminar nossos corações!
Minha irmã é um ser doce, dedicada a família e meu porto seguro. Sei que sempre poderei contar com ela e por ela faria qualquer coisa... Se isso não é amor, não sei o que é...

Ieia

Para minha irmã...


Carta de pai...

Quando tua mãe engravidou, eu esperava que você fosse uma menininha. No fundo, eu, como a maioria dos homens, tinha vontade de ser pai de uma menina, apesar das preocupações que isso traz na cabeça dos pais, como os namorados que teimam em aparecer depois de um tempo. Mas minha vontade era ainda maior porque sabia que era isso que tua mãe queria, alguém que lhe fosse companhia e que lhe completasse a vida. Foi isso que você fez. Completou intensamente nossa vida, sendo uma criança meiga, companheira, comportada, sensível e doce.

Suas brincadeiras eram criativas, mas não tendiam ao risco, gostava dos animais e sabia dividir suas coisas, mostrando seu nobre coração desde os primeiros anos de vida. Seu compromisso com os estudos, apesar das inseguranças, era sempre intenso. Foste uma aluna tranquila e esforçada e que sabia, o que sempre tentei evidenciar, que o estudo seria o segredo para o sucesso.

Quando terminaste o Ensino Médio, buscou novos caminhos ao decidir ir morar sozinha na capital para fazer cursinho, na tentativa de passar no vestibular de medicina, o mais concorrido do estado. Preciso dizer que seu desprendimento me surpreendeu, sua iniciativa de trilhar seu próprio caminho longe do conforto da tua casa. Mas preciso dizer também que fiquei muito orgulhoso de ti por isso, mostrando que é alguém capaz de buscar aquilo que deseja.

O fato de não teres conseguido entrar na faculdade naquele momento não me frustrou, mas tive medo que frustrasse a ti. Achei que, talvez, por algum tempo, perdesse o rumo. Foi quando, apesar de ter passado em outro vestibular, você decidiu que era a hora de parar e começar a trabalhar. Confesso que me preocupei, temi que sua decisão te tirasse de vez do caminho do estudo, que sempre desejei para ti, mas respeitei tua decisão porque é isso que os pais devem fazer. Sempre achei que você poderia muito mais. Sonhei muitas coisas para a tua vida, mas precisava deixar que você vivesse sua vida. A mim restavam os sonhos.

Já não pude mais te orientar, mas acredito que meus ensinamentos foram suficientemente poderosos, tu trilhaste um caminho do bem. Fizeste escolhas e foste feliz com tuas decisões e, principalmente, decidiste tentar de novo. Voltar a faculdade, agora em um curso totalmente diferente, foi uma escolha acertada e que me encheu de orgulho. E tenho plena convicção de que pensaste em mim, em algum momento, quando tomaste tua decisão. É importante saber que continuo presente em tua vida, mesmo não estando com você.

Infelizmente precisamos nos afastar e não estive presente em muitos momentos importantes de tua vida como o nascimento de tuas filhas, minhas netas, ou em momentos que precisou de um ombro amigo ou um colinho de conforto. Não estive junto a ti, mas meu olhar se estendeu e se estende sempre sobre você e toda a sua família.

Na ocasião de tua formatura, me sinto pleno de realização e com o coração renovado de alegria. Lamento não podermos comemorar juntos essa conquista, mas peço que encha teu coração de bons sentimentos, emocione-se, comemore e brinde a tudo o que você enfrentou e conquistou e a tudo que ainda surgirá e tenha a certeza de que um dia ainda nos encontraremos e te abraçarei mil vezes em nome do amor e orgulho que sinto de você, minha filha.


Com amor, papai!