sábado, 3 de abril de 2010

Uma crônica...

Vez ou outra me aventuro na escrita...

Zé olha o por do sol que o desperta todo dia... mais um dia... O silêncio ainda é companhia - silêncio na vida - silêncio na alma. Alma de pescador é sempre só.

A rotina de Zé já está enraizada na alma, já não é mais novidade, já não aprende mais - seu trabalho é mecâncio.

Zé precisa pescar... olha o azul do mar, o movimento das ondas, a espuma encontrando a areia e se conforma.

Olha o anzol, mergulha-o na imensidão e espera, como já não espera mais da vida. Sente o puxar da linha e reage, pega o peixe que ainda vive. O peixe não se debate, também se conforma como Zé, como se esperasse por esse momento.

Zé não espera mais da vida, mas decide deixar o peixe esperar ainda...

by Ieia


Nenhum comentário:

Postar um comentário