sábado, 3 de abril de 2010

BBB... e outras considerações...



Falar de Big Brother é algo que não é novidade. Nem mesmo a variedade de opiniões sobre o tema.

Algumas coisas são engraçadas... As pessoas, que se julgam superiores, tendem a menosprezar o programa. Talvez, uns 30% desses realmente não curtam o que veem; os outros 70%, acham necessário fazer tipo. "Eu não vejo esse tipo de programa, é a degradação completa da sociedade, só gente sem cultura gosta de ver um bando de bobo como aqueles", entre outras.

Nunca me esqueço que no segundo ano da Faculdade de Letras, um professor da disciplina de Ética e Literatura, propôs que a turma escrevesse sobre o programa, que estava, então, em sua primeira edição. Sem mentira, de uma turma de mais de 30 alunos, eu fui a única que não menosprezei o programa. Na época, meu professor fez o discurso inicial da aula seguinte, falando a respeito do que tinha lido em nossos textos. Ele disse que alguns pareciam não gostar do programa e tinham seus motivos reais para tanto, mas que outros somente criticaram por se tratar de algo popular, ressaltando que esse tipo de programa faz com que as pessoas não sejam cultas e outras barbaridades.

Ele pediu para ler um dos textos, o meu, e fez vários comentários positivos. Pena não tê-lo mais em mãos. O meu texto não era um elogio ao BBB, nem tampouco um convite a enriquecer-se culturalmente. Eu apenas bati na tecla de que sem cultura são aqueles que não leem nada, não vivenciam coisas novas, não ouvem boa música, não admiram a beleza em suas mais variadas configurações, mas que tem orgulho em não assistir ao programa; melhor seria ler jornal, revista e vários livros ao ano, participar de palestras e se reciclar com cursos de aprendizagem e mesmo assim, ser suficientemente segura de dizer... eu assisto o BBB.

Eu não gosto de julgamento preconceituoso e acho ridículo quando as pessoas querem humilhar outras por qualquer divergência de opinião. Ver BBB não é crime, é diversão e gosto não se discute, mas é claro que a vida não é só isso... e em nenhum momento eu diria que o programa é melhor que um livro, por exemplo, até por que isso seria uma enorme mentira... mas uma coisa não exclui a outra... não existe regra que diga: se você é inteligente não assista! Inteligente é quem se preocupa mais com a própria vida do que aqueles que precisam ridicularizar para tornar menos medíocre sua existência.

by Ieia

Nenhum comentário:

Postar um comentário